Amsterdam: dicas e histórias das férias

26 de novembro de 2012 20 Comentários por Maria
Amsterdam amanhecer
amanhecer da janela do hotel

Quando definimos o roteiro das férias, pedi para algumas pessoas sugestões de comidas e lugares. Chegaram listas enormes para Paris, outras mais comedidas para Portugal e uma indicação aqui, outra ali, para Amsterdam. De comida especificamente havia apenas um restaurante e uma padaria. E só. O Google apontava que as comidas características eram as batatas fritas servidas com maionese e os stroopwafels; e advertia que Amsterdam não tinha tradição culinária.

Amsterdam 7 stroopwafel
stroopwafel e café-com-leite

Lá chegando, deixamos as malas no hotel e na recepção pedimos alguma sugestão de restaurante nas redondezas onde pudéssemos conhecer um autêntico almoço local. Como resposta escutamos: “restaurantes mesmo vocês só acharão os turísticos porque os holandeses só almoçam sanduíche”. Achei um pouco curioso, um tanto sem graça e, descrente de tal regra, consultei o Trip Advisor que nos mostrou alguns restaurantes no entorno. Lá fomos nós para o mais próximo: fechado. OK, vamos para a segunda opção: fechado. Na terceira porta fechada nos rendemos à fome e entramos numa padaria chamada Vlaamsch que tinha uma carinha muito simpática. Antonio pediu um sanduíche de steak tartare e eu uma quiche de abobrinha e queijo de cabra. Leitores… que quiche! Só não voltei mais animada a reproduzi-la por aqui porque levava muito queijo de cabra e, ao contrário do preço acessível de lá, é bem caro nas bandas de cá. Voltamos nessa padaria para alguns cafés-da-manhã nos quais o meu pedido era sempre o mesmo: um croissant com manteiga e geléia e um café com leite. Gordura como jamais consumo na primeira refeição do dia, compensada rapidamente pela felicidade instantânea.

Amsterdam Maria e cafe-com-leite
açúcar em cubinhos na semana que mais tomei café-com-leite na vida!

Mas voltemos ao fenômeno dos restaurantes. Caminhamos o restante do dia e por onde passávamos víamos pelas janelas restaurantes pequeninos e muito charmosos; todos fechados. Mas quando o sol baixou, junto com a noite surgiram inúmeras luzinhas nos salões e entendemos que lá, restaurante é lugar para jantar.

Não vou dissimular minha frustração porque com o frio que fazia eu queria comida quentinha no jantar e no almoço! Mas já que não havia, o que fiz foi optar por locais que servissem também sanduíches quentes. No fim das contas já estava tão adaptada que quando voltei a primeira refeição que planejei fazer em casa foi um hambúrguer (que calhou com a ausência de fogão que contei recentemente).

Amsterdam waffle com nutella
na rua vende-se waffle quentinho com Nutella

Ao menos vocês já irão para lá avisados! E aproveito para listar alguns locais simpáticos nos quais comi e gostei (locais de dia-a-dia para cafés-da-manhã e sanduíches no almoço, todos sem frescura).

Amsterdam Vlaamsch

De cima pra baixo, restos do café-da-manhã com croissant, manteiga e geléia, sanduíche de steak tartare e quiche de queijo de cabra e abobrinha. Todos no Vlaamsch.

Amsterdam Wilhelmina

Sanduíche de queijo de cabra com bacon e mel, no Wilhelmina, um restaurante/café/padaria que descobrimos no último dia e que gostamos muito. Lá comi também um ótimo e diferente hambúrguer.

Amsterdam De Bakkerswinkel

Dica da Letícia, da Cozinha da Matilde, o De Bakkerswinkel tem ambiente agradabilíssimo, carta de chá e sanduíches que podemos escolher as combinações, além de muitas outras gostosuras. O da foto levava queijo de cabra curado, abacate, pepino e raspas de limão; o arranjo de sabores foi escolhido pela atendente a quem pedi socorro pois não conseguia me decidir.

Amsterdam Gartine

Conhecemos o Gartine graças ao Trip Advisor que o apontou como uma das boas opções nas redondezas de onde estávamos passeando. Por sorte conseguimos uma mesa no pequenino e cheio salão. Uma gracinha de lugar. Mas não lembro mais do que era esse sanduíche.

Amsterdam Hap-Hmm

Hap-Hmm foi um verdadeiro achado para jantar próximo ao hotel! Nesse restaurante familiar são servidos saborosos pratos típicos com um preço muito justo e um ambiente super acolhedor. Na foto, um strogonoff que nada tem de parecido com o nosso. Mas é uma delícia! Aberto das 16h30 às 20h45.

Amsterdam Pompadour

Na Chocolaterie Pompadour comi uma fiorentina divina. E voltei no dia seguinte para comprar mais! Mas saibam que pedir os doces nas mesas custa mais caro que comprá-los no balcão que fica logo ao lado.

Por fim (mas não menos importante), o Greenwoods, mas a fome era tão grande que não deu tempo de fotografar.

Amsterdam arco-iris
arco-íris no último dia de passeio em Amsterdam

Recebi também indicação de um blog que, além de conter boas informações, a escrita é divertidíssima. O Ducs Amsterdam vale a visita!

17 Comentários

  1. Eloise
    4 anos atrás

    Maria, o post ficou um show!!! achei q tinha falado q eles nao almocam rsrs coitados…

    Responder

    • Maria
      4 anos atrás

      Pra gente isso se torna uma curiosidade, né?! rsrs

      Responder

  2. Elisa Cordeiro
    4 anos atrás

    Maria, parabéns pelo post, ficou ótimo. Meus pais estão indo para Paris e será que você poderia me enviar as dicas que recebeu para lá? Se eles tiverem as dicas facilitaria muito a vida deles pois eles estão indo com tios meus e ninguém nunca esteve lá. Muito obrigada, Bjo, Elisa. elisapublio@yahoo.com.br.

    Responder

    • Maria
      4 anos atrás

      Olá, Elisa. Escreverei em breve pra você. Tenho que reunir tudo que me passaram e comentar, claro. ;)

      Responder

    • Maria Angélic
      4 anos atrás

      Maria,

      Permita-me usar seu espaço para dar uma dica para a Elisa.Tem um blog http://www.conexãoparis.com.br, que é de uma brasileira que mora em Paris há muito tempo e que tem dicas ,informações e um mundo de coisas que para marinheiros de primeira viagem ou pra quem já foi várias vezes,são sempre necessárias.

      Quanto a Amsterdam,eu cheguei na cidade num mes de agosto no dia da Parada Gay deles,que acontece nos canais e é considerada a segunda maior do mundo,só perdendo pra nossa aqui de Sampa.Uma coisa que jamais vou esquecer,muito divertida e muita,muita,muita gente lotando os canais.Imagine…

      BJs

      Responder

      • Maria
        4 anos atrás

        Excelente dica, Maria Angélica! Eu aproveitei muito o Conexão Paris e ele estará indicado quando fizer o post contando da passagem por lá. Obrigada pela contribuição. :)

        Responder

  3. Eloisa
    4 anos atrás

    Adorei os comentários, as fotos, a generosidade em compartilhar da Maria!

    Um beijo, querida (já é uma querida, 'converso' com seus posts diariamente!)

    Responder

  4. vbfranca
    4 anos atrás

    "Viajando" com sua Viagem….OTIMO!!!

    Responder

  5. Cibele
    4 anos atrás

    Oi Maria!!!

    Adorei o post!!! Quando fui para Amsterdã não consegui ficar só no sanduíche…rsss…consegui encontrar um lugar que comi uma omelete de cogumelos maravilhosa…

    Bjkssss

    P.S. Saudade dos seus vídeos.

    Responder

    • Maria
      4 anos atrás

      É verdade, Cibele, alguns locais fazem omeletes… Mas não sou muito fã e por isso acho que nem os notava nos cardápios. rsrs

      Quanto aos vídeos, em 2013 teremos mais! ;)

      Responder

  6. Verena Buschinelli
    4 anos atrás

    Maria, ainda não tinha lido o relato da ida a Amsterdam…sabe que sempre quis conhecer? Pouco se fala nela e me parece tão charmosa com os canais …

    Adorei as dicas e as fotos estão de dar água na boca! Um beijo grande! Vou ler mais!

    Responder

    • Maria
      4 anos atrás

      É de fato um charme, Verena. Acho que só não me apaixonei porque achei o clima uma chatice. rsrs

      Responder

  7. Selma v Vroenhoven
    3 anos atrás

    Bom dia Maria ,
    meu marido é holandês então sem muito bem do que está falando…
    ano sim,ano não vamos para a Holanda e concordo….Amsterdam é a terra do sanduiche mas Endhowen,também…..rsrsrss

    Responder

    • Maria
      3 anos atrás

      Eu não imaginava quanta inspiração aqueles sanduíches me trariam, Selma!

      Responder

3 Trackbacks

  1. […] e noto um aumento significativo na diversidade e na quantidade de sanduíches e me impressiono: uma viagem expandiu meu horizonte e colocou nele um universo de pães recheados com um monte de […]

  2. By DigaMaria | Salada com pepino e abacate on 20 de agosto de 2013 at 16:46

    […] É comum alguns alimentos ocuparem um mesmo lugar durante toda a nossa vida. O abacate é um bom exemplo disso para mim: desde sempre ele foi empregado em vitaminas e a maior variação que eu conhecia até um ano atrás era um creme, feito com limão e açúcar para sobremesa, ou desdobramentos em sorvete e picolé. Só em Amsterdam descobri que ele poderia ser muito mais do que isso e esta salada com pepino e abacate é apenas mais um fruto dessa viagem. […]

  3. By DigaMaria | Sem fogão mas cheia de inspiração on 24 de maio de 2014 at 03:20

    […] sorte meu último destino foi Amsterdam – a terra do sanduíche – e a inspiração para explorar combinações que não demandavam forno e fogão estava […]

Deixe seu comentário

Os Campos com * são obrigatórios. Mas não se preocupe, seu e-mail não será divulgado.