Como aprendi a gostar de café espresso

Dezembro de 2003. Lá estávamos nós, minha irmã e eu, desembarcando em Buenos Aires para um passeio de uma semana. Nessa época, o café mais gostoso do mundo era o que a minha mãe fazia, coado e mais conhecido como “chafé”. Café espresso era horrível, amargo, nem pensar!
Novas e com pouco dinheiro, chegamos felizes da vida numa Argentina recém quebrada que nos possibilitava ficar hospedadas num confortável hotel três estrelas com um farto e bem preparado café da manhã. Na noite de Natal até em Puerto Madero jantamos sem grandes preocupações com o lado direito do cardápio! Mas uma coisa logo no primeiro dia chamou minha atenção: o preço da água mineral. Não me perguntem porquê mas o fato é que custava caro e eu, que bebo água o dia todo, fiquei assombrada com isso. E se alguém está pensando “fácil, era só comprar no supermercado e andar por aí com a garrafinha”, vou logo me adiantando, concordo. Mas não pensei nisso naquele momento. No entanto, logo notei que o café espresso, além de barato e presente em toda e qualquer esquina de Buenos Aires, vinha acompanhado de um generoso copo de água com gás (minha predileta!) e de um sempre delicioso e diferente biscoitinho. Resultado: ao invés de pedirmos água passamos a pedir espresso. E como não gosto nem um pouco de desperdício, bebia o forte cafezinho sem sequer saber que estava sendo servida por um povo que tira um espresso com muita competência. O primeiro eu provavelmente devo ter deixado pela metade, o segundo, honestamente não lembro, mas o último, esse sim tenho certeza que bebi até o final, curtindo cada pedacinho de sabor que um bom espresso é capaz de nos presentear.

Moral da estória? Nada como um empurrãozinho das circunstâncias para enxergarmos o entorno de maneira completamente nova. E o café da minha mãe não mais me agradou. Mas aos poucos ela também aprendeu a gostar de café forte e mudou os hábtos. E hoje, bem ali na minha cozinha, há aquela querida máquina de espresso, sempre pronta para me fornecer um delicioso e saudável café.

Na bula do publicada no site da Anvisa, a empresa farmacêutica informa que um comprimido de 50 mg deve ser tomado em até uma hora antes da relação sexual.

Você também pode gostar...

3 comentários

  1. Joyce Galvão diz:

    eu não sou nem um pouco fã do espresso… mas confesso que tenho forçado meu paladar pra isso. Dá uma inveja ver as pessoas sentadas em uma mesinha, lendo um jornal e saboreando o café como se fosse a melhor bebida do mundo[…] eu continuo com aquele paladar infantil de pedir um chocolate quente ou um cházinho, mas nunca dá o mesmo efeito.

  2. é, acho que é diferente mesmo… eu tinha esse sentimento com vinho mas de um ano pra cá consegui ensinar meu paladar a gostar. mas quem sabe um cappuccino se aproxime mais do clima?

  3. Rodrigo Londero diz:

    Para mim, Espresso só com água misturada, meio a meio! Fico com o buongiorno e o capuccino, os melhores, e não vejo nada de infantil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.