Waffles (ou a dedicação do vovô Alencar)

waffles

Esta é uma das mais doces memórias de infância que tenho: de férias na casa dos meus avós maternos, mal eu acordava, já faminta, e lá estava a mesa posta sinalizando que era só sentar e comer. E meu avô, uma das pessoas mais fascinantes que já conheci, ao menor sinal do acordar das netas, se dirigia para a cozinha para aquecer a máquina de waffles, naquele tempo trazida dos EUA. Ficavam sempre perfeitos, crocantes por fora e macios por dentro. Passávamos manteiga e nos deliciávamos observando-a derreter. Um toque de mel ou geléia e pronto, era só fechar os olhos e morder.

Fazer waffles, pra mim, é um exemplo de dedicação e amor, afinal quem os prepara é sempre o último a comer. Fica ali só sentindo o cheirinho e servindo. Talvez por isso, ou por adorar o sabor, ou por amor a essas lembranças, sempre desejei reproduzir em casa esse ritual.

Há uns anos atrás ganhei uma máquina dessas da minha mãe e hoje foi um desses domingos que resolvi presentear a família com um café da manhã digno de domingo, com um gostinho de carinho do vovô Alencar.

A receita de waffles que publico aqui não é a mesma da minha infância. De lá pra cá descobri uma versão mais light com resultado igual. Deliciem-se cobrindo com manteiga, geléia, mel, sorvete, cream cheese, frutas, maple syrup ou um simples açúcar de confeiteiro salpicado.

Ah, e o que sobra, quando sobra, corto em pequenos quadradinhos e guardo para depois servir bem crocante ornamentando sorvete.

Receita para dois waffles (de quatro)
1 xícara de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de sal
1 colher de sopa de açúcar
1 colher de sopa de manteiga derretida
1 xícara de leite
1 gema
1 clara em neve

Modo de fazer
Bata a clara em neve e reserve.

Misture os demais ingredientes. Quando estiver homogêneo, acrescente delicadamente a clara batida.

Deixe descansar na geladeira por uns trinta minutos.

Aqueça a máquina de waffle, unte com manteiga, coloque uma parte da mistura e feche.

Quando parar de sair fumaça pela lateral seu waffle deve estar pronto. Sirva quente e bom proveito!

Dessa vez não tinha toda farinha branca necessária e coloquei 20% de integral. Ficou ótimo!

Já há algum tempo, o , No entanto, embora seja um remédio de sucesso, existem alguns riscos e contra indicações que devem ser avaliados.

Você também pode gostar...

30 comentários

  1. Evelyn Müller diz:

    Quero a foto!!!
    bjs

  2. em geral consigo dar um jeitinho e fazer a foto antes da comida ir pra mesa. mas eu seria uma sádica se fizesse isso no café da manhã de domingo compartilhado com marido, pai e irmã… assim que repetir a dose eu tiro e posto. prometo!

  3. Maria,
    eu também amo waffles, é uma memória da época em que morávamos na Alemanha e sentíamos o perfume do waffles na feira em frente da nossa casa…depois de casei acabei comprando uma máquina de fazer essas maravilhas!
    É um perigo…a gente tem que se conter mesmo!
    Eu adoro congelar depois de prontos para colocar na torradeira e comer quando dá vontade! Fica maravilhoso!
    Beijos! E viva o vovô Alencar!

  4. Verena, essa dica da torradeira é realmente boa. Waffles na feira em frente de casa… nossa… engordo só de pensar!! Mas eu achei essa receita bem razoável (depois me passa a sua pra eu testar?). O problema está nos complementos!Beijos! E viva o vovô Alencar!

  5. Três vivas para o Vovô Alencar!
    Nada paga as suaves, deliciosas e cheirosas lembranças da infância, né Mary?
    Eu não tenho uma máquina de Wafles, mas imagino que não seja tão cara, é elétrica? Ai fiquei com vontade de ter uma. Mais um ítem para minha lista que hj conta como número 1 uma daquelas máquinas de pão programáveis que faz quase tudo [ou tudo, quando não resolvemos meter o bedelho no resultado final] sozinha!
    beijo Mary!

    1. Não mesmo, Denise! Hoje mesmo, enquanto comíamos os waffles, falei com Antonio que quero levá-lo à cidade onde moravam os meus avós (Itajubá/MG) para mostrar os lugares que fizeram parte da minha infância.
      A máquina é elétrica; parece uma sanduicheira. Não sei quanto custa mas imagino que seja em torno de uns R$100… A panificadora eu super recomendo! Apesar de nunca mais ter usado a minha para assar (porque sempre quero inventar uam modinha) elas fazem tudo!!!
      Grande beijo, linda semana!

    2. mary, estou aquí bisbilhotando e lí o teu comentário. queria te dizer eu tenho uma ´máquina de pão ( dessas que fazem de tudo rsrs ) mas, sinceramente, não se compara com um pão feito manualmente, bem amassado, depois assado ao nosso gosto. é muito melhor, tanto que encostei esta máquina.
      mas o assador de waffle, este sim, eu recomendo, com louvor.
      bom fim-de-semana.
      leo

      1. Concordo que tudo que fazemos à mão fica mais especial. Mas para muitas pessoas a máquina viabiliza preparar o pão em casa, já que o feito à mão demanda um tempo razoável de envolvimento no processo. Aqui em casa por exemplo, costumo usá-la para bater/ descansar/bater/descansar. Mas sempre dou uma última amassada na mão e em geral moldo e asso no forno.
        E os waffles… bom, para esses precisamos mesmo da máquina! E a minha eu a usei neste final de semana para um café-da-manhã com amigos. Uma delícia!
        Boa semana para você!

  6. Adoooro waffles !!Também tenho muitas boas memórias de cafés da manhã na casa de meus avós!!
    beijo
    Monica (mulher do Pimpão !)

    1. Monica, que bom receber sua visita!
      E como se não bastasse todo o afeto desses momentos que levamos conosco vida afora, essas memórias ainda tornam certos sabores ainda mais especiais; inigualáveis!
      Beijos e volte sempre!

  7. parabéns, pela receita e, principalmente, pela declaração quanto ás reminiscências tão caras e tão distantes.
    tenho uma relação de amor com este doce delicioso: era o momento "must" das festas de aniversário em casa de minha tia wally, qdo ela abria uma daquelas enormes latas de fôlha, já antiga, e nos brindava com os waffles que ela, laboriosamente, havia preparado para os seus convidados.
    divina recordação.
    ( só um reparo, esta receita, como outras tbem, não indica a quantidade que resultam da receita. pena rsrsrs)

    1. Léo, fico muito feliz quando vejo que os posts trazem para cá memórias boas além das minhas. Adorei a lata sendo aberta… lembrei da minha bisavó nos oferecendo biscoitos de fécula (também aqui no blog).
      Quanto às quantidades, tenho me cobrado mais atenção nesse sentido. Mas no caso do waffle, no início da lista do ingredientes está dito "Receita para dois waffles (de quatro)". Talvez não tenha ficado claro; rende dois waffles daqueles de quatro quadrados, sabe?!
      Um abraço e volte sempre!

  8. Amei a receita e as boas lembranças que ela traz,
    embora eu não tenha esta adorável recordação
    fico muito feliz de saber que no futuro meus netos irão ter essa doce recordação da vovó Marcia.
    Parabéns!!!!

    1. Marcia, eu que amei saber que com o texto e a receita levei até você esse sentimento. Desejo que a vovó Marcia seja muito feliz e leve muita alegria para os seus netos. Muito obrigada por compartilhar isso comigo.
      Um abraço e volte sempre!

  9. Diana Abreu diz:

    Maria, acabei de me deliciar com uns waffles!
    Há anos via na casa da minha avó uma maquina dessas, com um padrão maravilhoso!
    Um dia desses, fui na casa da vovó e peguei "emprestada" a tal máquina…
    Hoje fiz pela primeira vez!
    que delícia! e que coisa mais linda!

    bjbj

    1. O ritual é delicioso, né, Diana?! Eu amo! Na casa da minha mãe usávamos uma máquina também "emprestada" da casa dos meus avós. ;) Quando fui morar sozinha minha mãe me deu uma nova de presente.
      Depois que coloquei no ar o post de waffles de abóbora não resisti e corri pra cozinha pra preparar mais. Não deixe de experimentá-los também!
      Beijo e ótima semana!

  10. Ola estou pra fazer essa receita com minha bff (sim samos adolecentes ainda uahsuahs ,vemos muitos filmes americanos que tem Weffles e queriamos muito fazer so que nos não temos a maquina propia para weffles pode fazer em lancheira mesmo por ser parecido ?
    Obrigado Maria bjs bjs

    1. Olá, Nathália! O único teste que fiz com massa de waffle fora da máquina foi moldando como panqueca numa frigideira antiaderente. Experimentei assim a receita de waffle de abóbora (https://digamaria.com.br/archives/5549) e ficou uma delícia. Se a motivação vem dos filmes americanos, se joguem nas panquecas (também americanas) com muito requeijão, manteiga, maple syrup, mel…! Aproveitem e me conte depois!

  11. Maria+Emilia+(Mila) diz:

    Maria, tenho acompanhado suas receitas e vídeos, e amando tudo. Queria ter externado isso antes, mas toda vez que começava uma mensagem algo impedia de terminar, mas hoje com esse texto sobre Waffle, parei tudo. Waffle na minha familia também era uma tradição e com a maquina americana que meus pais compraram logo depois que se casaram acho que em 1950. A nossa receita estava no caderno de mamãe e entre parentes tinha(Cirandinha Rio) que era uma casa de lanches no Rio ha muitas décadas atrás. Comíamos Waffles no lanche de domingo, mamãe preparava a receita e deixava descansando enquanto íamos a missa das 18h. Passávamos manteiga e mel, cada um dos filhos comia no mínimo 4, quando sobrava mamãe comia o dela com geléia de morango. Tinha uma conha que era a medida certa para colocar na máquina. Também ganhei uma máquina de mamãe e para matar a saudade vou experimentar a sua receita. beijão Mila (amiga de sua mãe no IJSN)

    1. Ô, Mila, obrigada pelo comentário tão carinhoso. Entendo perfeitamente a demora em deixá-lo, viu?! Sou mestra em deixar para responder com calma alguns e-mails especias e me perco pelo tempo afora. rsrs
      Espero que goste dessa receita que é menos calórica que a que meu avô preparava. E a da sua mãe, você a tem? Adoraria vê-la. ;)
      Beijo e volte sempre.

  12. Gleici Schiavo diz:

    maria querida que delicia! Queria fazer para minha filha. Tenho uma receita que os ingredientes são parecidos com os de panquecas só que vai muita manteiga. No conhecia essa receita que bate claras em neve. É relamente necessário? obrigada

    1. A clara em neve contribui com uma textura mais macia, Gleici. A receita do meu avô também era mais "gordinha", por isso adotei esta que é mais "light". Se fizer volta pra me contar o que achou?
      Beijo!

  13. […] na primavera novaiorquina, sentada numa mesa em frente ao Central Park, que conheci o waffle de abóbora. O restaurante se chamava Sarabeth e foi recomendado pelo hotel no qual eu estava […]

  14. Guilherme diz:

    Caraca, muiiito bom, estreou a maquina que meu irmao comprou a 2 anos com gala. Fofo dentro, crocante no céu! Obrigado, beijos, Guilherme. O que faço com minha mulher lambendo os lábios, rs?

  15. anabela diz:

    ola.maria,é a primeira vez k venho aki mas vou ter k experimentar os teus waffles porke comprei uma makina de os fazer e vou ter k experimentar,espero k me corra bem.beijo anabela

  16. Heloisa Galvão diz:

    Oi Maria!! Que lindeza!!!
    A tempos eu e João compramos uma maquininha e procuramos uma receita mais light de waffle. Vamos experimentar com certeza!!!!
    Beijao
    Helo

    1. Experimentem também a receita de waffle de abóbora, Helô. Eu amo!
      Quando fizer me conta o que acharam, ok?!
      Beijão!

  17. Silvania Silva diz:

    fiz e ficou maravilhoso, amei a massa, fica leve e muito saboroso. só não fica crocante, fica bem macio, mas recomendo pois achei delicioso. Parabéns pela receita, eu prefiro waffle crocante mas esse eu achei perfeito….

    1. Que bom que gostou, Silvania! Eu também adoro waffles crocantes, mas todas as receitas que experimentei são mais macias. Já viu as outras do blog?! http://bit.ly/1iZk1Tx
      Beijo!

  18. Silvio luiz Schmid diz:

    Amei, vou fazer, depois comento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.