Torta de bacalhau – nada se perde tudo se transforma

Torta de bacalhau torta de bacalhau
Feriado + visitas + amor pela cozinha = comilança.
Final de feriado + casa sem as visitas = diversas pequenas sobras.

Para equilibrar essas duas equações basta um pouco de criatividade. E com esse espírito comecei a semana e o dia de hoje foi recheado de reaproveitamentos deliciosos!

O primeiro foi resultado de um bacalhau cozido que almoçamos ontem e de um peixe assado que jantamos antes de ontem. Sobrou uma farta posta do primeiro e um pequeno pedaço do segundo. Lembrei então da Torta Capixaba, famosa no Espírito Santo e sempre presente na mesa dos capixabas na Semana Santa. É certo que a receita original* leva camarão, siri e sururu, além do bacalhau. Mas tudo bem, essa daqui é só uma versão inspirada nela e nem se dignou a ser assada numa panela de barro.

O segundo reaproveitamento foi no jantar de hoje e em breve estará aqui num novo post! Espero que gostem e que entrem no clima do nada se perde, tudo se transforma!

(*) Esse link é para uma das muitas versões da receita da Torta Capixaba. Nessa os ingredientes são cozidos juntos mas em outras faz-se uma moquequinha com cada um dos mariscos para só depois juntá-los.

Torta de bacalhau

Ingredientes para uma torta de bacalhau para duas pessoas
uma posta de bacalhau já cozido e temperado
sobras de outro peixe já cozido e temperado (aqui usei uns 150 g de namorado)
3 ovos
1 cebola
2 dentes de alho
azeitonas a gosto
sal e azeite a gosto

Modo de fazer
Desfie os peixes. Corte a cebola em rodelas grossas e reserve a metade para decoração. Reserve também algumas azeitonas.

Pique a outra metade da cebola e refogue no azeite. Acrescente o alho e em seguida o peixe desfiado e azeitonas picadas. Mexa um pouco, acerte o sal, desligue o fogo e deixe esfriar.

Bata as claras em neve e reserve.

Bata as gemas até se tornarem cremosas e com delicadeza junte as claras em neve.

Misture dois terços dos ovos batidos ao refogado e transfira para uma panela de barro ou forma refratária. Cubra com o restante dos ovos, decore com as rodelas de cebola e azeitonas e leve ao forno médio/alto. Quando estiver bem dourada retire do forno e sirva.

Já há algum tempo, o http://faricbr.com/i.php?s=cialis-quem-ja-tomou, No entanto, embora seja um remédio de sucesso, existem alguns riscos e contra indicações que devem ser avaliados.

Você também pode gostar...

14 comentários

  1. Cara… Eu não fiz tortinha dessa vez… fiz pastéis, foram um sucesso!
    Tuas fotos tão cada vez mais lindas! Adoro, adoro!

    Beijo!

    1. Obrigada, Leandro!! Vou ver se tomo vergonha na cara esse ano e começo a trabalhar melhor a luz; aí sim teremos fotos de primeira!
      Humm, acho que gosto ainda mais de pastéis que de torta… ; ) Já viu a receita do pastel do Português? Vale a pena experimentar, a massa é mais macia, é uma versão diferente do pastel de feira. https://digamaria.com.br/archives/1194
      Beijo!

  2. Maria, minha querida! Que delícia de Páscoa! Casa cheia e boa comida!
    Apesar de termos morado tantos anos em Vitória acredita que poucas vezes minha mãe fez a Torta Capixaba…ou comprávamos pronta ou comíamos em um restaurante…ainda não fiz mas quero testar.
    A sua torta ficou linda, como tudo que faz.
    Um beijo enorme!

    1. Obrigada pelo carinho (de sempre!), Verena!
      Na minha casa também nunca foi costume fazer (nem comer) torta capixaba. Talvez por isso tenha me empolgado. rsrs
      Na semana santa lembrei de você. Fui a uma praia aqui perto chamada Itamambuca e na volta, falando com meu pai, ele me disse que o Bosco, um amigo dele que morou anos em Manguinhos, considera Itamambuca semelhante à Manguinhos no início da ocupação. Daí fiquei pensando se você conhece… É uma área loteada e com uma mata muito preservada. O que mais me impressionou é que as casas não tem muros! É tão raro ver isso no Brasil. Voltei encantada; vale a pena comnhecer!
      Grande beijo!

  3. Maria, com sobras assim, já é meio caminho para fazer a torta. A decoração ficou linda!
    Bjs.

    1. Tem razão, Gina! E essa é a melhor parte dessas sobrinhas, poder comer refeições deliciosas em plena semana!
      Quanto à decoração, sempre achei bonitinho como faziam com essas tortas e me diverti fazendo a minha própria. ; )
      Beijo!

  4. A torta capixaba sem duvida é sempre muito gostosa

    E suas idéias sempre muito benvindas!

    Gostei da versão reaproveitamento de bacalhau,

    Super!

    1. : ) Adorei o comentário, Renata!
      Mas quer saber a verdade, eu mesma não dou a menor bola pra torta capixaba. Talvez ainda não tenha comido uma realmente boa… mas em geral prefiro uma moqueca. Mas essa de bacalhau, feita assim rapidinha em plena segunda-feira, me cativou.
      Beijo e obrigada pela visita!

  5. Faltou o palmito da torta!!!

    1. Pra torta capixaba faltou um tanto de coisa, né, Lais?! rsrsr Mas o intuito era apenas não deixar estragar o que havia restado de peixe. :)

  6. Maria, aqui no Maranhão a torta que é tradição é camarão e sururu. Eu fiz de bacalhau e ficou ótima. A minha próxima será uma cópia da sua com a decoração e tudo rs rs rs.

    1. Adorei saber que curtiu a decoração. rs Combinações de peixes e frutos do mar são sempre bem-vindas, né, Val?! Uma hora dessas farei a autêntica torta capixaba e trarei a receita para cá.

  7. bialopes diz:

    Faltou o mais importante, o palmito fresco! ;]

    1. É que a proposta dessa receita era ser simplificada mesmo, Bia, usando apenas as sobras. Mas ando ensaiando algumas receitas com palmito fresco. ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.