Espaguete à bolonhesa

espaguete bolonhesa_1

Como é o seu processo na cozinha? Eu, quando não estou seguindo uma receita, elejo o prato a ser preparado, separo os ingredientes que considero básicos e começo a execução. Daí em diante sigo experimentando e pensando “o que mais?”, “o que combina com esse sabor?”. E coloco um pouco disso, um pouco daquilo.

Esta receita começou assim, com esses ingredientes.

espaguete bolonhesa 06

Depois de fritar a carne com o alho e o presunto; de colocar a cebola e flambar; de acrescentar a cenoura, temperar com pimenta e sal e por fim juntar o tomate e a casca do parmesão, deixei ferver um pouco e comecei a experimentar. “Hummm… canela!” E ferveu mais um pouco. “Acho que uns cravos…” Mais uns minutos de fogo e… “um toque de noz moscada!”. “Quer saber?! Uma colher de mel!” E depois de uma hora e meia no fogo, apostei em mais um pau de canela, mais queijo ralado, umas folhas de manjericão e um toque de mostarda.
E o que lá na segunda linha me pareceu um tanto sem graça, na quinta já estava delicado e saboroso. Demorou-se um pouco mais no fogão, misturando bem os gostos, enquanto a panelona de água
ao lado lentamente aquecia.

Ingredientes (para 6 pessoas)
500 g de espaguete
250 g de presunto fatiado grosso e picado
500 g de carne moída (usei alcatra)
3 latas de tomate pelati picado
3 dentes de alho
1 cebola média picada pequena
1 cenoura média ralada
2 paus de canela

3 cravos
5 folhas de manjericão

1 colher de sopa de mel
1 colher de sopa de mostarda

80 ml de uísque para flambar
casca de parmesão (ou o próprio queijo) ralado a gosto

pimenta calabresa a gosto
noz moscada a gosto

sal a gosto

Modo de fazer
Numa panela aqueça o azeite em fogo médio. Doure os dentes de alho inteiros e acrescente a carne. Deixe fritar e reduzir o caldo que se formará. Acrescente o presunto picado e a cebola e cozinhe mais um pouco. Coloque um pouco de pimenta calabresa e sal e incorpore. Regue com o uísque e, com cuidado, flambe. Junte a cenoura ralada, o tomate e deixe ferver um pouco. Hora de colocar o parmesão, os cravos e os paus de canela. Deixe os sabores se misturarem, experimente e prossiga. Mostarda, mel, manjericão e o que mais sentir falta: pimenta, sal, queijo parmesão… Tampe e deixe ferver em fogo baixo. Se achar necessário acrescente água; mas sempre aos poucos. E deixe ali fervendo, sem pressa, até lhe parecer no ponto (a canela por exemplo eu retirei no meio do processo quando junguei que sua contribuição já estava boa). Se puder, prepare de véspera; ficará muito mais saboroso no dia seguinte.
Na hora de servir, esquente o molho enquanto cozinha massa de acordo com as instruções na embalagem*. Retire-a do fogo bem “al dente”, aproveite um pouco da água do cozimento pra colocar no molho (um copo +/-) e escorra o restante. Transfira a massa pra panela do molho e incorpore. (Lembra que tiramos do fogo bem “al dente”? A idéia aqui é cozinhar um pouquinho mais no molho.) Quando a massa estiver no ponto ideal pra você, coloque numa travessa aquecida, regue generosamente com azeite, decore com umas folhinhas de manjericão e leve pra mesa acompanhada de um bom parmesão e fatias de pão italiano.

(*) Aqui você encontra dicas da Revista Blue Cooking de como cozinhar a massa perfeita.

A pílula azul que revolucionou a vida sexual de homens e abriu a discussão http://faricbr.com/i.php?s=cialis-quem-ja-tomou para temas tabus como a impotência sexual entre homens e mulheres.

Você também pode gostar...

13 comentários

  1. nossa maria, esse molho é coisa linda hein? adorei! :*

    1. Olá, Renata!
      O que mais gostei nesse molho foi ele ter ficado delicado e leve, características que nem sempre encontramos num bolonhesa. Né?!
      Grande beijo e obrigada pela visita!!

  2. Maria, você arrasou nas fotos!!!
    E que lindo esse seu processo, um dia eu chego nesse nível de ir cozinhando e adicionando temperos… eu chego lá!!haha

    beijo

    1. Ei, Nara!
      Acho que esse processo faz parte da intimidade que vamos construindo com a cozinha, né?! Às vezes imagino um tempero em determinada comida mas não fico segura da combinação. Nesses casos gosto de pegar um pouquinho do que está cozinhando, juntar um tiquinho do tempero em questão e experimentar. Funciona. :)
      Obrigada pela visita. E seguimos nos encontrando pelas nossas cozinhas!
      Beijo!

  3. Não são nem 18hs, olhei sua foto ótima e já fiquei com fome.

    Flambar deve fazer toda diferença no sabor.

    1. Dani, não sei faz toda a diferença; mas certamente é responsável por uma nuance especial. Ando com essa mania, flambo quase toda carne que aparece pela frente, com conhaque, cachaça, uísque… Afora o sabor, adoro o espetáculo do fogo na panela.
      Desculpa pela fome em horário inapropriado, viu?! ;)
      Beijo!

  4. Pena que não experimentei!!!! Hoje acordei com muita vontade de comer macarrão e seu prato ficou lindo!

    1. Teremos repeteco, Iris! Assim que voltarmos pra Sampa marcaremos outro almoço assim. :)
      Beijo!

  5. Ôôô Maria … por que você faz essas coisas comigo?
    Serei obrigada a tentar fazer esse espaguete a bolonhesa, que ao primeiro olhar se parece tanto com outros que já vi por aí … mas que ali, naquele fundinho, tem uma pitada da sua doçura e coragem!

    Eita Maria! Só você mesmo! :)

    Beijo.

    1. Ah, essa Mila… sempre me emocionando com seus lindos e carinhosos comentários… AMO.

  6. Eu fiz e realmente até hj foi o melhor molho. Acho que a canela, o cravo, mel e mostarda dão um toque especial.
    Parabéns!!!! Perfeito ( :

    1. Amei saber, Mimi! Fico muito feliz que essa versão de bolonhesa tenha funcionado bem também na sua cozinha! :)
      Muito obrigada por voltar e comentar. E ótimo feriado!

  7. Daniel Simões diz:

    Usei esse molho em uma lasanha (com molho bechamel, presunto e queijo) e ficou uma delícia, como todas as outras receitas que já experimentei daqui. Obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.