Peixe assado na brasa ⎝Guaivira⎞ e bolinhos de batata doce

Esta receita de peixe assado na brasa é metade minha, metade do pescador que o vendeu para mim.

peixe assado na brasa

Era domingo e eu voltava do café-da-manhã pela orla quando vi os peixeiros e suas bancas na praia. Como não havia plano para o almoço, parei para ver se o mar ofertava algo bom para assar.

O pescador sugeriu a Guaivira (também conhecida por goivira, goaivi, solteira, quiebra, tibiro-saltador e salteira) e me disse que o ideal seria preparar o peixe assado na brasa sem papel laminado ou qualquer outro envolvimento: sua pele era o suficiente e formaria um couro facilmente removível depois de assado. Recomendou que a abertura fosse feita pelas costas e limpou o peixe abrindo duas grandes fendas rentes à espinha. Mostrou-me que nelas eu deveria colocar o tempero, assim como na abertura da barriga. Ao final, entregou o peixe e alertou: é importante não assar por muito tempo para não ressecar a carne da Guaivira. Anotei tudo mentalmente, paguei R$6 pelo peixe e segui para casa.

peixe assado na brasa

Para o tempero escolhi alcaparras, cebola, salsinha e muita manteiga. Adoro o sabor dessa combinação e ela se mostrou providencial para o peixe que iria para a brasa sem estar envolto em nada além de sua própria pele: depois de colocar o tempero no peixe e levá-lo à geladeira, a manteiga se solidificou e facilitou muito o manuseio.

peixe assado na brasa

Acompanhado de ervilha torta e bolinhos de batata-doce (tipo batatas noisette), almocei um peixe de carne úmida, com consistência firme e macia e muito saborosa que encantou a todos os presentes. Sem falar no divertimento que foi retirar a pele do peixe como quem abre uma latinha de atum dessas que vem com ganchinho (não me perguntem de onde surgiu essa comparação!). Portanto, se você tem uma churrasqueira e curte um peixe assado, recomendo muito que experimente a Guaivira.

peixe assado na brasa com bolinho de batata doce (batata noisette)

Ingredientes para cerca de 25-30 bolinhas de batata noisette, ou bolinho de batata-doce
450 gramas de batata-doce
1 gema (opcional)
pimenta do reino moída na hora a gosto
noz moscada a gosto
sal a gosto
farinha de trigo para envolver
óleo para fritar

Modo de fazer
Ferva água e cozinhe a batata-doce cortada em pedaços grandes. Quando estiver macia, retire do fogo e escorra a água. Deixe esfriar um pouco e, assim que der pra manusear, descasque a batata-doce e a transforme num purê com auxílio de um garfo ou de um processador de alimentos.

Misture os temperos, prove e acerte o sabor conforme seu paladar.

A menos que a batata-doce esteja muito seca, é possível enrolar as bolinhas já nesta etapa. Mas se preferir, acrescente a gema neste momento e misture até ficar homogêneo.

Molde bolinhas de cerca de 2,5 a 3 cm de diâmetro e passe na farinha de trigo.

Numa frigideira, aqueça aproximadamente um dedo e meio de óleo. Frite os bolinhos de batata noisette, sem colocar muitos por vez para nao esfriar o óleo, virando quando dourar a parte de baixo. Quando dourar por igual, retire com uma escumadeira, escorra bem o óleo e coloque sobre papel toalha. Sirva em seguida.

batata noisette

Ingredientes para o peixe (guaivira, goivira, goaivi, solteira, quiebra, tibiro-saltador e salteira) – serve de três a quatro pessoas
um peixe Guaivira inteiro, limpo e com cerca de 1 kg
1 xícara de cebola roxa picada
¼ de xícara + 1 colher de sopa de alcaparras picadas
½ xícara de salsinha picada
3 dentes de alho espremidos
4 colheres de sopa de manteiga
2 colheres de sopa de azeite
pimenta do reino moída na hora a gosto
sal a gosto

Modo de fazer o peixe na brasa
Peça ao peixeiro para limpar a Guaivira para assar, abrindo o peixe pelas costas.

Aqueça uma frigideira com 2 colheres de sopa de manteiga e uma colher de azeite.

Refogue a cebola até murchar. Junte o alho e mexa até começar a dourar.

Acrescente o restante da manteiga, prove e acerte o sal e a pimenta.

Desligue p fogo, misture a salsinha e a colher de azeite restante e aguarde esfriar.

Reserve cerca de ¼ do molho para levar à mesa e use o restante para temperar o peixe, inserindo o molho nas duas cavidades abertas pelo peixeiro e na região da barriga. Leve à geladeira e deixe descansar por pelo menos duas horas.

Acenda a churrasqueira e aguarde o fogo reduzir e a brasa se formar. A uma distancia de 25 a 30 cm da brasa, acomode a grelha com o peixe sobre ela.

Marque 15 minutos, confira se a pele do peixe está com aspecto levemente tostado e, com cuidado, vire o peixe. Marque mais 15 minutos e o peixe deverá estar pronto.

Sirva em seguida removendo a pele com cuidado, começando pela parte da cauda. Ela sairá facilmente deixando apenas a carne.

Obs. 1: para manter a umidade da carne é importante que o peixe fique na churrasqueira apenas o tempo necessário para o seu cozimento.

Obs. 2: quem quiser saber mais sobre a Guaivira, aqui está o link para uma matéria da revista Pesca e Companhia.

Com tantas opções no mercado, que já foi motivo para muitas polêmicas – principalmente devido à casos de infarto envolvendo o uso .

Você também pode gostar...

8 comentários

  1. Uhnnnm, que combinação feliz! Me deu vontade de comer isso com os pés na areia :)

    1. É, Marcel, pés na areia dão um sabor todo especial à qualquer comida. ;)

  2. Oi Maria, adoro peixe na brasa, só não conheço esse tipo de peixe que você fez.Pelo menos não por esse nome.Costumo fazer pintado, etc.

    Esses bolinhos de batata doce parecem divinos.

    Adorei.Parabéns querida, tudo de bom.

    1. Viu os outros nomes dele no post, Vanderleia? Talvez o conheça por outro nome. Quando mudei pra SP demorei pra entender que poderia achar muitos dos peixes que consumia no ES, bastava descobrir seus nomes paulistas. ;)

  3. Oi querida, andou sumida… esse nome do peixe aqui no Rio nunca ouvi falar, talvez tenha outro nome…

    beijos.

    1. Olá, Eloísa! Sumi não… tô por aqui com a mesma frequência e todo dia lá no Facebook do DigaMaria :) https://www.facebook.com/DigaMaria.com.br
      Você viu que coloquei no post os outros nomes desse peixe pelo Brasil afora? Veja lá e me diga se reconhece algum.
      Beijo!

  4. maria célia c diz:

    A Guaivira assada ficou divina!!!

  5. Aqui no sul, chamamos a guaivira de SALTEIRA, é facilmente reconhecível pois ela tem uma "bola" óssea bem no meio centro da parte inferior do peixe, logo aonde termina a barriga. É assa bola, e sua grande estrutura óssea é que permite a este peixe dar grande saltos na água, de onde vem o nome "salteira", ou Guara (Madeira), Pyra (peixe) Guara+pyra = Guaivira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.