Hambúrguer caseiro e uma declaração de amor aos amigos

Hambúrguer e uma declaração de amor aos amigos

Tudo começou com a notícia da aquisição de uma fritadeira. Estávamos num desses deliciosos encontros entre amigos (praticamente mensais, agora) quando a Lud anunciou que havia comprado uma fritadeira. Amigas solícitas que somos, Aline e eu prontamente nos oferecemos para testar a dita cuja. E para o teste pensamos numa batata frita, que logo nos lembrou do seu companheiro hambúrguer que na mesma hora nos sussurrou “não esqueçam de trazer a maionese”. A partir daí bastou marcar a data e todos compareceram pontualmente: nós, os maridos, mais amigos e todos os ingredientes.

Havíamos preparado e congelado os bifes na noite anterior. No dia seguinte abrimos uma garrafa de vinho tinto, brindamos e mãos à obra! Começamos batendo a maionese sem ovos e sem óleo, enquanto os homens descascavam as batatas. Na sequência elas foram cortadas, colocadas numa panela com água e sal, levadas ao fogo até levantar fervura e escorridas. Arrumamos a mesa com pães, queijos, presunto, molho barbecue, salada e batata palha. Colocamos a chapa para aquecer e a batata para fritar; e à medida que os bifes de hambúrguer chegavam ao ponto (ligeiramente malpassados por dentro) cada um ia montando seu sanduíche. E assim o domingo seguiu com um, dois ou três hambúrgueres por pessoa. E assim seguimos nós, por horas a fio, aproveitando da maneira mais alegre e saudável possível nosso tempo livre, convivendo com quem gostamos, vibrando a cada pequena descoberta e tornando únicos esses sabores, em parte pela motivação e pelas “boas mãos” que temos pra cozinha, mas, sobretudo, pelo privilégio que temos, e usufruímos, de compartilhar sem medidas essas qualidades uns com os outros.

Obrigada, queridos, pelo domingo; obrigada pela nossa história.

Hambúrguer e batata frita

Ingredientes para o hambúrguer (rende uns 8 bifes)
500 gramas de contra-filé ou fraldinha
500 gramas de picanha
1 ovo
1/2 pacote de sopa de cebola ou cebola picadinha
alho espremido
um fio de azeite
um pouco de molho inglês

sal e pimenta do reino a gosto

Modo de fazer
Escolha as carnes buscando as peças que tenham uma capa de gordura mais fina. Peça ao açougueiro para moê-las juntas. Em casa, misture a carne moída com os demais ingredientes. Prove e acerte o tempero. Com auxílio de um aro redondo, ou sem, molde os bifes de hambúrguer
prensando-os bem. Envolva individualmente os bifes em filme plástico ajustando-o bem à carne (deixando o bife apertadinho). Leve ao congelador. Na hora de consumi-los basta aquecer uma chapa/frigideira/grelha numa temperatura média e colocar o bife.

Hambúrguer e uma declaração de amor aos amigos

Ingredientes para a maionese de leite
1/2 xícara de leite gelado
1 xícara de azeite (acho que o ideal é usar um azeite com sabor mais neutro)
sal e temperos a gosto (usamos salsinha e cebolinha)

Modo de fazer
Coloque o leite gelado no liquidificador e bata um pouco. Abra a tampinha do liquidificador e acrescente aos poucos o azeite (em fio). Tenha paciência e observe atentamente para não perder o momento mágico no qual o líquido se torna creme bem diante dos seus olhos. Acrescente uma pitada de sal e os temperos que quiser batendo até que sejam incorporados à maionese. Leve à geladeira por alguns minutos antes de servir.

Mas antes vamos conhecer um pouco da história do . Acompanhe com a gente.

Você também pode gostar...

14 comentários

  1. Nossa, batata aferventada antes de fritar eu nunca fiz, deve ficar bom.

    Gostaria de saber se o leite pra maionese é integral, e se pode ser o de caixa longa vida.

    Obrigada

    1. Olá, Dani! Bem-vinda!
      Eu nunca havia feito batata frita; essa foi orientada por uma amiga que faz desde que me entendo por gente. Ela disse que esse processo favorece a maciez (interna) e a crocância (externa). Uma hora dessas estudo o porquê disso e te conto! ; )
      Quanto à maionese, já fiz com leite longa vida integral e também com Molico em pó e não observei nenhuma diferença. Se experimentar com outro tipo volta pra me contar, tá?!
      Um abraço e volte sempre!

  2. Que delícia, Maria!

    E essa fritadeira, vale a pena? Será uma solução para as minhas sucessivas derrotas ao fazer frituras?

    beijos

    PS: Ontem tomei açaí com a minha granola caseira, lembrei de você. ;-)

    1. Adorei a lembrança, Maria Rê. Eu continuo firme e forte com o açaí no café-da-manhã. Consegui um fornecedor e agora compro a caixa de 5 litros. Muito mais em conta!
      Quanto à fritadeira, como eu evito fazer fritura, eu a evito também. rsrs Mas faz menos sujeira e menos fumaça. Além de ter aquela gradinha que é um adianto de vida tanto na hora de colocar o alimento quanto de escorrê-lo. Mas a capacidade dessa que testamos é pequena; acho que vale atentar para isso na hora de comprar porque não dá pra encher a tal gradinha senão o óleo transborda. Se comprar me conta!
      Beijo e ótimo domingo!

  3. Uau…adoro hamburguer…e feito em casa então é muito melhor e saudável! Nunca fiz misturando a picanha com outra carne…imagine moer junto um pouco de bacon? As batatas estão lindas como tudo mais!
    Que delícia poder estar próximo dos amigos para passar horas preciosas!
    Um beijo!
    O pão foi feito por vocês também?

    1. Pois é, Verena, pensei no bacon também. Mas além de uma das amigas não gostar, quando vi as salientes gorduras do contra-filé e da picanha não tive coragem de acrescentar bacon, ainda que escondido. Mas deve ficar delicioso com uma carne mais magrinha. Meu pai, que lá estava conosco, sugeriu uma linguicinha defumada. Enfim, variações não faltam!!
      As batatas são um capítulo à parte. Amo batata frita e é tão difícil comer uam boa fora de casa. Essas aí eu continuei comendo mesmo depois da sobremesa!
      O pão foi comprado. Por sorte estava saindo forno quando a Lud chegou na padaria.
      Quem sabe um dia você vai rever a terrinha e participa de um desses encontros??!
      Grande beijo e ótimo final de semana!

  4. Provem esta delícia!! O sanduiche ficou muito saboroso,a maionese ficou perfeita e as batatas, sou suspeita em dizer alguma coisa porque realmente elas fazem parte da minha vida, eu adoro.
    As companhias, como sempre, são adoráveis!
    Meninas, vcs moram em meu coração.bj

  5. Maria, outro dia vi num programa de TV uma lanchonete aqui nos EUA que faz o hamburguer cozido no vapor (e o queijo tb!) e que o cara do programa disse que foi a carne mais suculenta que ele já comeu na vida.

    1. Mel…! Interessantíssimo isso, hein??! Pode apostar que vou experimentar já na próxima semana!! Ah, esqueci inclusive de colocar no post que em alguns bifes abrimos uma cavidade, colocamos uma colherinha de manteiga e fechamos. Lembrei disso porque mantém o sabor da manteiga mesmo no vapor. ADOREI! Depois te conto no que deu!!
      Beijo e saudade!

  6. Karina Costa diz:

    Oi Maria, bom achei seu blog na net e simceramente não consigo mais para de ve-lo, pois etou aprendendo a fazer comidas, doces, essas coias rsrs. Nunca fiz comida então ta sendo maravilhoso essa nova fase, essa nova esperiencia. E suas receitas sao maravilhosas, Parabens.

    Bom eu tenho uma sugestao para a batata sair macia pro dentro e crocante por fora, eu cortei as batatas em tiras normalmente e coloquei no congelador por uns minutinhos. E fritei em seguida. Ficou uma delicia!!

    Uma vez fui ao Mc´donald e perguntei da moça como fazer em casa, pra batata sair deliciosa, ela disse que era pra eu fazer assim. E ficou otima.

    Beijihos a todos!

    1. Karina, adoro saber as histórias de quem há pouco resolveu se aventurar na cozinha. Bem-vinda ao blog e a este novo e fascinante universo da culinária!
      Muito obrigada pela dica. Eu, pessoalmente, não frito batatas em casa. Quando tenho vontade de comê-las preparo essas versões mais saudáveis e, na minha opinião, tão ou mais saborosas: https://digamaria.com.br/archives/5059 https://digamaria.com.br/archives/2535 https://digamaria.com.br/archives/5168
      Já experimentou??
      Beijo e ótimo final de semana!

    2. Fernando diz:

      Mas o segredo do McDonald's é a batata geneticamente modificada deles. Aliás, nada saudável, viu?
      Vou fazer hoje essa receita de hamburguer para congelar, depois conto como ficou.

      1. Batata perfeita pra mim é aquela cortada na hora, irregular, bem crocante e sem vestígios de congelamento. ;)
        Espero que curta os hambúrgueres, Fernando. Aqui tem outras receitas caso queira diversificar: http://bit.ly/hambpernil, http://bit.ly/T9gRes, http://bit.ly/VT4NOL e http://bit.ly/Res0hC.

  7. […] senti necessidade de estocar. E dessa constatação nasceram essas almôndegas: aproveitei uma receita de hamburguer e usei parte dela para moldar bolinhas que enrolei em filme plástico e congelei para algum […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.