HostMilano 2017 | 40ª edição

19 de outubro de 2017 4 Comentários por Maria

Outubro será — e está sendo — um mês e tanto! As primeiras semanas estão sendo dedicadas a produzir conteúdo site da HostMilano, uma importante feira internacional que apresenta e discute as principais tendências no setor de hotelaria, restaurantes e cafés. Nos textos, falo um pouco sobe tendências no Brasil para a panificação, para as pizzas, sorvetes e comida em geral. E hoje cheguei em Milão para cobrir a feira.

Host Milano

Restauração profissional, pão, pizza, massas, gelateria, confeitaria, café, chá, bar, máquinas e mobiliários serão os temas desses próximos 4 dias. Acompanhem tudo comigo pelas redes sociais do DigaMaria: Twitter, Instagram e Facebook.

Aproveitem para ativar as notificações do FB. Entrem na fanpage e, depois de curtir, cliquem em seguir –> ativar notificações. ;)

A 40ª edição do HostMilano – International Hospitality Exhibition foi projetada para oportunidades de negócios em todos os vários setores Ho.Re.Ca, mas há mais do que isso. O site da HostMilano dá um aperitivo do que encontraremos entre 20 e 24 de outubro: workshops, oportunidades de treinamento, mesas redondas, demonstrações de show cooking e muito mais. E eu gostaria de estar em todos os lugares ao mesmo tempo! Ok, eu sei que não é possível. Por isso, estudei o cronograma do evento para descobrir o que faz os meus olhos brilharem mais.
Sorri em frente ao computador quando li “mixologistas e mestres da comida que trabalham com as antigas tradições, vão explicar e ensinar aos profissionais as características botânicas, os benefícios, como usá-los para produzir cocktails saudáveis ​​e pratos sustentáveis” (em livre tradução). É confortante ver culinária e mixologia se aproximando da natureza novamente, o lugar onde tudo começou.

Essa é uma tendência mundial, mas no Brasil tem sido um tema há apenas alguns anos no mundo gastronômico. Até a última década, nossas origens ficaram subjugadas aos preparos caseiros do cotidiano. Foi com Paulo Martins, arquiteto do Pará – estado conhecido como portal da Amazônia brasileira – e cuja mãe era uma grande cozinheira, que esse cenário começou a mudar. Destacando a gastronomia da Amazônia – que envolve ingredientes muito específicos da região, como o tucupi, com base na mandioca; frutas como o cupuaçu; e peixes de rio, como pirarucu; apenas para citar alguns, desconhecidos para a maioria da população brasileira – Paulo Martins chamou a atenção de Alex Atala, um importante chef de São Paulo, e abriu as portas para a riqueza culinária do Pará e da Amazônia brasileira. Atala trouxe para São Paulo ingredientes amazônicos combinados com alta gastronomia. Em seu D.O.M. restaurante, reconhecido como um dos melhores do mundo (n.16 em “50 Melhores Restaurantes do Mundo”), Atala uniu gastronomia contemporânea com raízes brasileiras e ditou uma tendência que gradualmente se espalhou pelo Brasil.

A riqueza e a diversidade deste país tropical chamado Brasil – que tem a maior biodiversidade de fauna e flora no mundo e mistura influências culturais de seus colonizadores portugueses e dos africanos escravizados trazidos com eles, dos imigrantes italianos e alemães e de suas populações indígenas – continua a ganhar status nacional e internacional, com ingredientes únicos e tradições culinárias em cada região de seu vasto território.

No Brasil, essa tendência está se expandindo a partir de uma elite culinária para cobrir uma população maior. Esta é uma tendência valiosa para o país, pois eleva sua auto-estima e consciência da necessidade de preservar a natureza, e para o mundo, que ainda tem muito a saber sobre o Brasil.

Hoje em dia, é possível perceber essa tendência mesmo em pequenas cidades brasileiras, como Ubatuba, uma cidade costeira com menos de 100.000 habitantes, onde moro. Eu tenho oferecido jantares e aulas com foco em ingredientes regionais e isso despertou o interesse dos turistas e da população local. E há mais gente fazendo coro comigo no interesse em ingredientes nativos. Um dos exemplos é o barman Caio Bonneau, que chegou recentemente à cidade. Seu trabalho é desenvolver drinks especiais usando a rica flora local com frutas como cambuci, juçara (uma espécie de açaí), folha de pitanga e assim por diante.

E quando a maior feira de Ho.re.ca promove esse tópico, a HostMilano nos dá ainda mais razões para acompanhar iniciativas como essas.

4 Comentários

  1. Eliza
    1 mês atrás

    Que lindo! Ótima viagem! Aguardo aqui as novas ♥️

    Responder

  2. eloisa
    1 mês atrás

    Menina!!! Tá podendo hein?!!! Aproveita! <3

    Responder

  3. celia
    1 mês atrás

    Adorando acompanhar sua viagem, filha!!!! aproveite muito e envie lindas notícias!

    Responder

Deixe seu comentário

Os Campos com * são obrigatórios. Mas não se preocupe, seu e-mail não será divulgado.