Nhoque de grão-de-bico

Nhoque-de-grao-de-bico-021

Ainda criança, minha vó Lucy me ensinou a amar nhoque. Mais tarde, quando comecei a frequentar restaurantes, aprendi a respeitá-lo – não só o dito mas principalmente quem o preparava bem equilibrado. Digo isso porque é comum nos depararmos com nhoques pesados – com muita farinha no preparo, ou com outros saborosos e leves, porém muito moles.
Depois de casada – com meu Antonio e com a nossa cozinha – me vi disposta a desvendar eu mesma os seus segredos. E logo fui surpreendida porque bastou o cuidado na escolha da batata e com a evaporação da água após seu cozimento para tornar perfeitamente viável um nhoque leve, com a consistência agradável e fácil de moldar.

Preparei algumas vezes o de batata, pouco depois o de banana da terra e num dia desses, a Ju (ou @Pitadinha) do blog Pitadinha me recomendou esta receita. No sábado seguinte aproveitei o passeio matinal pela feira e comprei o grão-de-bico que primeiro virou sopa, depois creme com alho assado, depois cozido inteiro na salada e por fim: nhoque de grão-de-bico!

Bom, e se a receita veio parar aqui é porque adorei. Ela rendeu dois almoços (de duas pessoas). No primeiro fiz um molho com o que restou do frango do Jamie Oliver. Desfiei e foi pra panela com o próprio molho, um pouco de vinho branco, um toque de molho de gergelim (daqueles prontos que custam R$1,75) e folhas de hortelã.

No segundo preparei um molho com tomates frescos, alho assado e abobrinhas. Tudo sem medida mais ou menos assim: assei a cabeça inteira de alho envolta em papel laminado. Quando os dentes ficaram macios, mas ainda não cremosos, retirei do forno, descasquei e cortei cada dente em dois pedaços. Foram pra panela com tomates picados – com pele e sementes mesmo, azeite, pimenta calabresa, um pouquinho de caldo de galinha e um tiquinho de alecrim. Enquanto isso, assei com um fio de azeite fatias bem finas de abobrinha, cortadas no sentido longitudinal e levemente salgadas. Aí o caminho foi o seguinte: nhoque cozido, direto pra panela de molho quente, de lá pro prato, abobrinhas por cima: mesa.

Ambos combinaram muito bem com o grão-de-bico. E você, qual molho irá preparar pra este nhoque de grão-de-bico?

Rendimento
4 porções

Ingredientes para o nhoque de grão-de-bico (ligeiramente adaptada daqui)
1 xícara de chá de grão-de-bico
1 ovo
2 colheres de sopa de manteiga derretida (usei em temperatura ambiente)
1/2 xícara de chá de farinha de trigo
2 colheres de sopa de azeite de oliva
1 colher de chá de sal
3-5 colheres de sopa de queijo parmesão ralado fino

Modo de fazer
Coloque o grão-de-bico de molho na água de um dia pro outro.
No dia seguinte escorra os grãos e transfira-os para uma panela de pressão. Cubra com água, tampe e leve ao fogo médio. Quando iniciar a pressão abaixe o fogo e marque 20 minutos. Desligue o fogo, aguarde terminar completamente a pressão, abra e escorra a água. Deixe esfriar um pouco.

No processador ou no liquidificador, bata os grãos cozidos com o ovo, a manteiga e o sal até ficar homogêneo (no liquidificador demora um pouco mas com paciência você chega lá!). Transfira para uma tigela, junte a farinha e o queijo e misture com as mãos.

Numa superfície lisa, limpa e enfarinhada, faça rolinhos com a massa e corte os rolinhos em nhoques.

Ferva água com sal numa panela preferencialmente funda. Quando ferver, coloque os nhoques para cozinhar – não coloque muitos por vez para não esfriar a água; ela deverá permanecer fervendo. Quando subirem até a superfície, retire com uma escumadeira e deixe-os num escorredor de macarrão. Quando todos estiverem cozidos, esquente o molho, coloque-os junto na panela até ficarem bem envoltos e sirva em seguida.

Esse remédio ou suplemento, tem a função de ajudar o homem a resolver esse problema , e de certa forma a sua parceira ou parceiras sexuais.

Você também pode gostar...

19 comentários

  1. Que delícia de ideia! Adorei. Eu fiz um bolo de chocolate com grão de bico que ficou tão bom, tão bom, que tenho vontade de usar mais o grão de bico como ingrediente. E as suas fotos estão muito apetitosas. Bjs,

    1. Obrigada, Lu! Outro dia vi um bolo de grão-de-bico com chocolate (da Maria Rê, eu acho) e fiquei com muita vontade de experimentar.
      Além do nhoque usamos recentemente o grão-de-bico para fazer um creme com alho assado e alecrim e hoje almoçamos purê dele acompanhado de ovo em cocotte e batata doce crocante (cortada muito fina e assada). Tudo uma delícia.
      E a receita do bolo? ;)
      Beijo!

  2. Maria, seus nhoques ficam tão perfeitinhos… Os meus ficam todos desengonçados =) Mas amo essa receita, super leve e saudável, né? Meu marido não é chegado em nhoque, mas quando provou esse, aprovou! Que bom que por aí fez sucesso também, e ah, já congelei a massa e fiz de novo, e ficou ótimo também ;*

    1. Ainda não entendi como pode alguém "não ser chegado em nhoque". rsrsrs Mas tudo bem…
      Não tem mistério o formato desse nhoque, apenas enrolo sobre uma base lisa esfarinhada e corto num único movimento (com faca sem serra). Esse com a abobrinha também estava congelado. Fica perfeito mesmo.
      E o de batata doce, quando vamos experimentar??!
      Beijo!

  3. Tenho tanto preconceito com grão de bico, e sei dos benefícios dele a dieta, nessa receita me parece que ele fica ótimo e sem a cara original. Me arriscarei fazer um dia!

    1. Arrisque-se, Dani! Com quase toda certeza não vai se arrepender! E por favor, volte pra me contar, tá?!
      Beijo!!

  4. […] This post was mentioned on Twitter by Pitadinha, Maria. Maria said: A indicação veio da @Pitadinha e o nhoque de grão-de-bico foi para lá no blog: http://bit.ly/hMqBZD […]

  5. Méri, que deliiicia! Amo nhoque e amo grão de bico! Perfeito!

    1. Está na pauta pra próxima visita! :)

  6. Deve ter ficado ótimo! adorei a ideia simples de assar a abobrinha. Vou testar e depois conto. Bjs Iris

    1. Iris, desde a semana passada temos comido quase todos os legumes (e verduras verde escuras!) assados. Fica muito bom! É só usar fogo bem baixo e ficar por perto pra não queimar.
      Conta se fizer, tá?!
      Beijo!

  7. Descobri e amei seu blog! A apresentação das receitas é caprichada e gostei demais das dicas de reaproveitamento. Sabe que tenho uma feijoada congelada? Vai virar tutu! Beijos :-)

    1. Êba!! Acho que sábado vou comer mais uma feijoada só pra ter mais um restinho pra trazer pra casa. ;)
      Seja muito bem-vinda, Adriana! Sinta-se em casa! :)

  8. Marina Maria diz:

    Maria, descobri seu blog esses dias e estou adorando! Estou com estoque de grádo de bico em casa, já virou salada, já entrou no espaguete com linguiça toscana e tomates assados… e em breve vai virar seu nhoque!

    Minha dúvida: dá pra substituir a farinha branca pela integral? Como devo fazer a substituição? Sei que a integral deixa as receitas "mais pesadas", então não pode ser uma substituição 1 por 1…

    Me dá uma luz? Fico te aguardando!

    Beijo!

    1. Olá, Marina Maria! Bem-vinda!
      Adorei sua dúvida, apesar de não ter resposta imediata pra ela. Nunca usei farinha integral no nhoque e, numa rápida busca pela internet, pouco achei. Nos meus livros não lembro de ler nada a respeito e se não fosse o fato de eu só ter hoje em casa a farinha integral grossa teria testado no almoço mesmo. ;) Mas buscarei informações e voltaremos a nos falar, ok?!
      Se nesse meio tempo você resolver testar, sugiro começar com um meio a meio de farinha integral e branca. E voltar correndo pra me contar!!!
      Beijo.

  9. Fabio Metello diz:

    OI Maria!!!

    Já fiz um montão de vezes esse nhoque, só não uso no molho, a linguiça, pois sou vegetariano……inclusive já fiz 3 festas para 30 pessoas cada com esse prato..todos adoraram

    Parabéns

    Fábio Metello

    1. Nossa, Fabio, adorei saber que já serviu para tanta gente esse nhoque! Já experimentou os outros (inhame, banana, batata doce…)?
      Beijoe obrigada pelo retorno. :)

  10. Fabio Metello diz:

    Já fiz o de banana da terra, e vou testar agora o de inhame…e uso tudo orgânico, moro perto do parque da Água Branca aqui em Sp na barra funda, onde existe uma feirinha de produtos orgânicos.

    Igualmente à você, tenho na tal da memória afetiva, o sabor de nhoque que minha vó "Italianona" fazia..aquele cheiro do nhoque e do molho pela casa num domingão ensolarado…é inesquecívellll

    gosto muito de suas receitas…parabéns

    Fábio Metello

    1. Pois usufrua muito delas, Fabio! E volte sempre pra contar porque amo saber como elas se comportam na cozinha de vocês. :)
      Eu amo o de banana da terra e hoje fiz o de batata doce pra congelar. Ainda não escolhi com qual molho servirei. Mas o nhoque da vó continua tendo o sabor e a textura característicos; nem me preocupo em reproduzir. ;)
      Beijo e obrigada pelo comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.