Coq au vin (ou frango ensopado em vinho tinto)

coq au vin

Há poucos meses estive em Muqui/ES, cidade na qual vive a minha avó. Trata-se um sítio histórico construído nos tempos áureos do café brasileiro e que hoje abriga, além de muita cultura, pessoas simples e muita comida boa de cidade do interior. Pois então, foi nessa ida que visitei uma lojinha de produtos artesanais que comercializa desde compotas, geléias, massas e linguiça feita ali mesmo até frango caipira criado no quintal ao lado. Não resisti. Sei que em São Paulo posso comprar frango caipira, mas comprar um que foi criado ali naquele quintal visível a olho nu me pareceu muito especial e romântico. E assim o frango congelado foi para uma sacola térmica dentro da minha mala e voou de avião até aqui. Guardei-o no freezer e lá ficou até o dia em que eu folheava um dos meus livros prediletos, Chefs, e a foto do coq au vin saltou aos meus olhos. Claro que eu já havia visto aquela foto algumas vezes, mas naquele dia ela me olhou convidativa e desafiante.

Frango descongelado, segui a receita passo-a-passo! A única alteração que fiz foi a substituição do cogumelo fresco pelo em conserva porque não achei o da receita no dia.

Segue a receita e o texto descritivo que o livro traz (Chefs, editora Melhoramentos, pag.240, receita assinada por Shaun Hill):

“Conhecido na França como coq au vin, este é um importante prato da culinária provençal francesa. É um prato muito celebrado, mas em geral é muito malfeito em certos restaurantes. Algumas vezes o frango é marinado de um dia para o outro para realçar o sabor do vinho tinto. Contudo, isso produz um efeito indesejável: o sabor do vinho predomina sobre qualquer outro com que a pobre ave pudesse vir a contribuir, além de ressecar a carne.
Este prato não pode ser reaquecido sem alteração de sabor, ao contrário do que acontece com os de carne bovina e de cordeiro.

Ingredientes
55 g de maneteiga sem sal
1 frango, com cerca de 1,5 kg, cortado em 8 pedaços
8 cebolas pequenas
(daquelas para fazer conserva)
100 g de toucinho, cortado em tiras de 2,5 cm
16 cogumelos button
(champignon fresco)
2 dentes de alho amassados
1 colher de sopa de farinha de trigo
1 colher de sopa de tomate peneirado
(molho de tomate peneirado)
250 ml de vinho tinto
1 colher de sopa de açúcar
500 ml de caldo de galinha ou água
(usei caldo de galinha feito em casa)

Para servir
1 colher de sopa de salsa picada
croûtons quentes

Modo de fazer
Aqueça metade da manteiga numa panela. Polvilhe o frango com sal e pimenta, coloque os pedaços na panela e frite, virando para que fiquem dourados por igual.
Adicione as cebolas e o toucinho e cozinhe por cerca de 10 minutos até estarem dourados; junte os cogumelos e o alho e cozinhe por mais alguns minutos, mesclando os sucos.
Misture a farinha à manteiga dourada e aos sucos e cozinhe por 1 ou 2 minutos. Adicione o tomate, o vinho tinto e o açúcar, mexendo até frever. Adicione caldo de galinha ou água e deixe ferver novamente.
Diminua o fogo abaixo do ponto de fervura, então tampe a panela e deixe cozinhar por 50 minutos ou até que o frango esteja macio.
Verifique o cozimento e escorra todos os pedaços de frango e legumes, arranjando-os num prato de servir.
Transfira algumas conchas do líquido do cozimento e os resíduos do cozido ao liquidificador, adicionando a manteiga restante e bata. Misture bem o molho e prove o tempero.
Espalhe o molho sobre os pedaços de frango e os legumes. Salpique com a salsa e sirva com os croûtons.”

Eu não tinha pão para fazer croûtons em casa nesse dia, então servi com purê de batata. Combinou perfeitamente com este saboroso prato.

De lá para cá várias outras opções de remédios entraram no mercado como uma alternativa ao azulzinho, confira aqui um manual completo de como funciona o desde o momento da escolha até quais resultados esperar.

Você também pode gostar...

10 comentários

  1. Nossa, quero muito! Que delícia!

    1. Menina, e eu nunca tinha comido esse prato! Fiquei apaixonada pelo sabor! Se fizer me conta depois!
      Grande beijo!

  2. Vou fazer Hoje!
    não vou seguir a receita também pois cortar toucinho 2,5 da muito trabalho e suja a régua,rsrsrsrsrs.
    Bjs e até.
    Quero um frango de quintal!!!!

    1. Nem em fala, Giu, frango de quintal é tudo, né?! O sabor é outro (apesar de eu preferir a consistência macia do outro rsrs).
      E aí, fez??
      Beijo e volte sempre!

  3. Maria, minha mãe sempre fazia…hummmm, com esse tempinho mais frio é uma ótima pedida! Linda foto!
    Beijos!

    1. Sério, Verena??! Eu nunca tinha provado! Ah, uma visita à França me faria super bem…! rsrs
      Tenho que repetir essa receita em breve!
      Grande beijo da amiga sumida!

  4. hummmm…nem preciso dizer que fiz e sua mãe veio partilhar o almoço comigo e adorou! Eu não tinha frango caipira, então usei 2 kg de coxa e sobre-coxa daquelas que já vem em pacote, já cortadas pra servir de aperitivo – fritam e cozinham mais rapidamente! Ah! e não usei toucinho. Mas mesmo assim ficou muito bom!!
    vamos que vamos testando!!!! rsrsrs

    1. Ahhh… mas na próxima coloca o toucinho… ainda que um pouco menos. O sabor dele faz diferença nesse prato! Mas fico feliz em saber que também fica bom na versão mais light!
      Vamos que vamos! Beijo!

  5. Rubem Azenha diz:

    Tem alguma dica pra fazer o caldo de galinha?

    1. Rubem, eu faço da maneira mais simples possível: quando compro o frango inteiro aproveito cabeça, pescoço, pés e carcaça, junto numa panela com cenoura picada, alho, cebola, folha de louro, grãos de pimenta do reino ou jamaica e às vezes outros legumes como abobrinha e batata, cubro com água e levo ao fogo. Deixo ferver por 2-3 horas em fogo baixo com a panela semi-tampada, até que esteja saboroso. Depois é só deixar esfriar, coar e levar à geladeira. Depois de algumas horas a gordura forma na superfície uma camada gelatinosa; eu descarto e congelo o resto, ou em potes ou em forminhas de gelo. Para usar, sai do congelador direto pra panela. Se tiver tempo e paciência, assar os ossos antes de preparar o caldo faz com que liberem mais sabor. Ou seja, quando fizer frango assado, você também pode aproveitar a carcaça pra preparar caldo.
      Espero ter ajudado. :)
      Um abraço e uma ótima semana pela frente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.